A HIPERTENSÃO TAMBÉM PODE AFETAR SUA VISÃO!

 

Dados divulgados pelo Ministério da Saúde revelam que mais de 30 milhões de brasileiros sofrem com a hipertensão arterial, uma condição com consequências graves para todo o organismo. A RETINOPATIA HIPERTENSIVA é um dos possíveis efeitos da hipertensão arterial no organismo.

 

O QUE É A RETINOPATIA HIPERTENSIVA?

A pressão arterial elevada começa a provocar alterações nos vasos sanguíneos da retina, região responsável pela formação da imagem. Esse quadro pode gerar:

  • Vasoconstrição (estreitamento vascular);
  • Espessamento da parede das arteríolas e vênulas (Pequenas artérias e veias);
  • Rompimentos ou obstrução dos vasos.

 

Segundo o Dr. João Guilherme Oliveira de Moraes, esses processos iniciam-se sem que o paciente perceba. Trata-se de uma doença assintomática, ou seja, quando os primeiros sintomas surgem a visão pode já estar comprometida.

É importante, portanto, a realização de visitas regulares ao oftalmologista. Dessa forma é possível um diagnóstico precoce ou até mesmo evitar o surgimento da doença. Pessoas com pressão alta devem fazer acompanhamento com um oftalmologista desde o momento em que a hipertensão é diagnosticada.

Quais os sintomas da doença?

Com o agravamento do quadro, os sintomas começam a aparecer e incluem:

  • Perda de qualidade da visão;
  • Maior sensibilidade à luz;
  • Dores na cabeça;
  • Hemorragias no fundo do olho;
  • Edema macular decorrente da hemorragia.

 

Fumantes e pacientes com diabetes podem ter o quadro clinico agravado, acelerando os resultados negativos da RETINOPATIA HIPERTENSIVA.

COMO É FEITO O DIAGNÓSTICO?

 

Geralmente com o exame de mapeamento da retina e o histórico de hipertensão arterial é possível diagnosticar a doença. Em alguns casos podem ser realizados exames adicionais como Retinografia, Angiofluoresceinografia e Tomografia de Coerência Óptica (OCT).

COMO É O TRATAMENTO DA RETINOPATIA HIPERTENSIVA?

O tipo de tratamento depende do estágio da doença. Em alguns casos, apenas o controle clinico da pressão arterial pode impedir o avanço da doença. Nas situações em que já se desenvolveu um EDEMA MACULAR, é possível tratar com injeção de ANTI-ANGIOGÊNICO (VGEF). Já nos casos de hemorragias intravítreas por oclusões vasculares, o tratamento pode ser feito por meio de cirurgia de VITRECTOMIA.

A Dra. Camila Winckler, especialista em retina e vítreo, enfatiza que a prevenção e as visitas regulares ao oftalmologista são as melhores condutas para que pacientes portadores de hipertensão arterial evitem a Retinopatia Hipertensiva.