Rua Bispo Dom José, 2711 Seminário - Curitiba/PR
Seg-Sex: 08:00 - 18:30
14 dez 2014
degeneração macular relacionada a idade

Degeneração Macular Relacionada à Idade

Degeneração Macular Relacionada à Idade

DMRI (Degeneração Macular Relacionada à Idade) é uma doença que atinge a parte central da retina, que é responsável pela nitidez da visão, essa região é conhecida como mácula.

Visão com DMRI:

 

A degeneração macular é uma doença degenerativa, ou seja, ela degrada a região afetada levando a perda da visão do paciente.

Pessoas com mais de 50 anos de idade e de pele clara tem mais propensão a ter a Degeneração Macular.

A DMRI se apresenta de duas formas

DMRI – SECA

A Degeneração Macular na sua forma SECA é uma forma mais branda da doença, que é caracterizada por acúmulo de drusas atrás da mácula, as drusas são pequenos depósitos amarelados que aumentam de tamanho e em quantidade, podendo danificar as células na retina, produzindo distorções na visão. Geralmente os efeitos da distorção da visão acontece na parte central e são mais aparentes quando se lê, os casos de DMRI SECA não causam perda da visão no paciente, embora comprometam a visão central.

 

 

DMRI – EXSUDATIVA (úmida)

Essa forma da doença émais grave e agressiva, de 10% a 15% dos pacientes com DMRI SECA podem evoluir para a DMRI úmida, que é caracterizada pelo crescimento anormal dos vasos sanguíneos, conhecido como angiogênese ou neovascularização, ocasionalmente causa vazamento de sangue e fluido, que podem lesionar a mácula e/ou a retina. Produzindo perda rápida e permanente da visão central, num período curto de meses. Um sintoma precoce da DMRI úmida são linhas retas parecerem onduladas.

 

Devido ao aumento da expectativa de vida das pessoas existe a tendência de haver mais casos de Degeneração Macular Relacionada à Idade. Por isso a preocupação com a doença é cada vez maior, segundo a OMS no Brasil cerca de 100 mil novos casos de DMRI se desenvolvem a cada ano, sendo considerado a maior causa de cegueira à partir dos 60 anos de idade.

O que causa da DMRI?

Alguns estudos indicam que o fator genético é significativo para o surgimento da doença, porem sua causa real ainda é desconhecida, outros estudos indicam que fatores demográficos também podem influenciar no aparecimento da Degeneração Relacionada a Idade, pessoas de cor branca, com excesso de gordura corporal e fumantes tem maior propensão a desenvolver a doença, por isso certos cuidados com a qualidade de vida são importantes, para prevenir diversos tipos de doenças.

Tratamento da DMRI

Os tratamentos para DMRI são direcionados para sua forma úmida, no qual o crescimento anormal de vasos provocam a perda da visão central. Os tratamentos são direcionados para interromper esse crescimento anormal dos vasos e assim impedir a perda da visão do paciente.

Existem vários tipos de tratamentos para DMRI esxudativa, na sua maioria medicamentos aplicados diretamente no olho.

Em vários países foram realizados milhares de estudos científicos que comprovam a eficácia dos métodos de tratamento com antiangiogênicos, medicamentos que impedem o crescimento anormal dos vasos sanguíneos nos pacientes com DMRI esxudativa.

As medicações conhecidas e amplamente usadas são:

Ranibizumabe (Lucentis) – essa medicação interfere com uma pequena proteína conhecida como fator de crescimento endotelial (VEGF). Esse fator de crescimento estimula a angiogenese que ocorre na DMRI úmida. Estudos clínicos demonstram que 95% dos pacientes que foram tratados com a medicação mantiveram a visão, e aqueles que permaneceram por mais tempo com o tratamento tiveram melhora da acuidade visual.

Pegaptanib (Macugen) – o pegaptanib, é um aptâmero. Um aptâmero é uma cadeia simples de

moléculas chamadas nucleótidos que se liga facilmente a uma molécula específica do corpo. O

pegaptanib foi concebido para se ligar a uma proteína chamada fator de crescimento endotelial vascular (VEGF) e bloqueá-la.

 

Dexametasona Ozurdex – Recentemente foi aprovado o sistema de liberação crônica denominado de Ozurdex® para o tratamento de oclusão de ramo venoso e oclusão de veia central da retina. Tal sistema consiste na introdução através um injetor, posicionado no “pars plana” do paciente. O polímero contendo dexametasona é injetado na cavidade vítrea.

 

29 nov 2014
ozurdex retina curitiba

Novo implante recém chegado ao Brasil pode auxiliar no combate à perda de visão de portadores de diabetes

Um novo implante biodegradável chegou ao Brasil recentemente. Ele tem como principal função liberar um medicamento no interior dos olhos, de maneira gradativa. A função pode ser utilizada por um período que chega a seis meses, sendo que esse novo implante pode auxiliar no combate a perda de visão de pessoas que tem diabetes.

O medicamento contido no implante é a dexametasona que é um anti-inflamatório que é da mesma classe dos corticosteroides, este tem a capacidade de agir contra o edema macular que é a acumulação de liquido na mácula, que é a parte do centro da retina ocular, que fica localizada na parte posterior do olho.

Para pessoas com diabetes o edema macular representa uma complicação grave e pode levar à perda total da visão, esse edema é mais comum dentre os pacientes que não tem a glicemia controlada, a variação dos níveis de açúcar no sangue causam inflamações nos vasos sanguíneos, isso pode levar o líquido a vazar para a parte de fora dos vasos.

ozurdexDe acordo com informações do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, somente no Brasil existem atualmente 6 milhões de pessoas que possuem baixa visão e 585 mil pessoas cegas, a diabetes é a principal causa de cegueira entre pessoas adultas com idades que variam de 20 até 65 anos.

tratamento ozurdex retina curitiba

Atualmente o tratamento para pessoas que possuem o edema macular é realizado com injeções que são dadas a cada dois meses e também com laser, o ozurdex agora passa a ser mais uma alternativa de tratamento para os pacientes, comenta o Dr. João Guilherme de Moraes.

ozurdex retina curitiba

A principal vantagem da utilização do implante é justamente o fato de esse permanecer liberando o medicamento até um período de seis meses sem que haja a necessidade de uma outra aplicação.

ozurdex retina curitiba2

O implante é colocado sem a necessidade de cortes serem realizados, o paciente toma uma anestesia local e o implante é inserido por meio de uma injeção, o procedimento para colocação dura em média 30 minutos e não é necessário que o paciente remova o implante já que ele é feito de um material que é absorvido pelo organismo.

25 set 2014
vitrectomia constellation

vitrectomia

A vitrectomia é a cirurgia ocular mais comumente utilizada no tratamento das doenças de retina e vítreo, como descolamento de retina, tromboses venosas, hemorragia vítrea e buraco macular.

vitrectomia

Na vitrectomia, são empregados instrumentos microcirúrgicos (fontes de iluminação, vitreófago, pinças, tesouras, endolaser, etc.) com diâmetros que variam de 0,9 milímetros (20 Gauge) a 0,5 milímetros (25 Gauge).

Durante a vitrectomia, o vítreo, a substância gelatinosa que preenche o segmento posterior do olho, é removido, e para cada tipo de doença terá outros passos necessários para o tratamento durante a cirurgia.

cirugia_vitrectomia

Para substituir o vítreo removido, o segmento posterior do olho é preenchido com solução salina, ar, gás especial ou óleo de silicone, dependendo do caso em questão.

Vitrectomia Anterior

Cirurgia para retirar uma pequena porção do humor vítreo (massa gelatinosa que preenche o interior do olho) das estruturas anteriores do olho.

Vitrectomia Posterior

Cirurgia para retirar uma pequena parte ou todo o humor vítreo (massa gelatinosa que preenche o interior do olho) da parte posterior do olho.

Vitrectomia Via pars plana sem sutura

Termo que indica um conjunto de procedimentos que se destinam a retirar uma pequena parte ou todo o humor vítreo da câmara posterior do olho, através de pequenas incisões que não necessitam de sutura após a cirurgia.

A vitrectomia é geralmente realizada como um procedimento ambulatorial (sem internação hospitalar) sob anestesia local mais sedação ou sob anestesia geral.

o Centro de tratamento especializado Retina Curitiba possui uma equipe especializada neste tipo de procedimento, além de possuir um dos equipamentos mais modernos para este tipo de procedimento o Constellation Vision System da Alcon que representa um grande avanço na cirurgia vítreo retiniana. Os novos recursos permitem uma cirurgia mais segura e em menor tempo cirúrgico. A incisão menor reduz a necessidade de sutura nos olhos da paciente, um conforto e uma segurança maior. Por isso nosso centro cirúrgico é um dos mais importantes do sul com uma estrutura completa para atender o paciente desde a consulta, exames e cirurgias, com maior qualidade, segurança e comodidade.

constellation-retina-curitiba-Alcon

 

26 ago 2014
descolamento retina curitiba

descolamento de retina

A retina é uma membrana fina, delicada e flexível, que cobre a superfície interna da parte posterior do olho. É na retina que estão localizados os receptores fotossensíveis responsáveis pela visão.

retina curitiba descolamento

Uma das características da retina é que ela não possui nenhum elemento especifico que a fixe ao globo ocular, quem faz essa fixação por “pressão” é o vítreo, uma substancia gelatinosa e transparente, que mantém a retina na posição adequada com os vasos  sanguíneos que nutrem a retina.

retina curitiba olho

A Descolamento da retina é quando acontece uma separação dessa membrana do seu local adequado, essa separação interrompe o fluxo de nutrientes fornecidos pelos vasos sanguíneos que irrigam a retina, assim em pouco tempo a retina começa a se degenerar devido a falta de nutrientes, como a retina possui as células fotossensíveis a visão é diretamente afetada, por isso o descolamento de retina é grave e precisa ser tratado imediatamente.

Exames:

Cirurgia de descolamento de retina

06 jul 2014
retinacuritiba convenios2

Atendemos por convênios para sua maior comodidade

Convênios

  • Abra Saúde
  • Acesso Saúde
  • AGF Saúde
  • Ama Sonae
  • Amil
  • Amil Planos por Administração
  • Assesfaz
  • Bom Jesus
  • Bradesco Saúde
  • Cabenfale
  • Caixa Econômica
  • Copel
  • Daidellen Brasil
  • Ecco Salva
  • Fassincra
  • Fundação Saúde Itaú
  • Funsep
  • Fusex
  • Gama
  • Geap
  • Golden Cross
  • Hospital São Lucas
  • Itaipu
  • Judicemed
  • Marítima
  • Maxipas
  • Mediservice
  • Nossa Saúde
  • Notredame
  • Paraná Clínicas
  • Particular
  • Petrobras Distribuidora
  • Petrobras S/A
  • Porto Seguro
  • S.U.S
  • Sanepar
  • Santa Casa
  • Saúde Ideal
  • Saúde Ideal Rede Referenciada
  • SecoviMed
  • Sinan
  • Sul América
  • Unibanco
  • Unimed
  • Volkswagen
06 jul 2014
retinacuritiba cirurgias

Lucentis, Avastin, Macugen tratamento ANTI-VEGF

A injeção intra vítrea é atualmente uma das técnicas mais utilizadas e eficazes para o tratamento de diversas doenças vítreo retinianas.

O tratamento consiste na aplicação de medicamentos dentro do olho do paciente, esse procedimento aumenta as chances de sucesso e melhora na visão.

O procedimento é realizado em centro cirúrgico, com o paciente sob anestesia local ou tópica, através de colírios anestésicos.

Medicamentos ANTI-VEGF

O uso dos medicamentos ANTI-VEGF como AVASTIN, LUCENTIS E MACUGEN revolucionou a oftalmologia nos últimos anos, esses medicamentos tem como principal característica bloquear o fator de crescimento endotelial vascular A, o endotélio é a camada interna dos vasos sanguíneos, algumas doenças da retina como degeneração macular são caracterizadas por um crescimento de vasos sanguineos anormais, esses vasos comprometem a parte mais nobre da visão a RETINA que é responsável pela VISÃO fazendo com que os pacientes percam rapidamente a capacidade de enxergar. Os medicamentos ANTI-VEGF bloqueiam o crescimento desses vasos sanguineos anormais, estagnando a evolução da doença e em muitos casos melhorando a visão do paciente.

Outros tipos de doenças também são tratadas de forma eficaz por esses medicamentos como:

-membrana neovascular sub-retiniana (vasos sanguíneos anormais que crescem sob a retina);

-neovascularização intra-ocular (vasos sanguíneos anormais que crescem sobre a retina, disco óptico, íris, ângulo da câmara anterior) e

-edema macular (inchaço na área central da retina, a mácula).

Recentemente devido ao sucesso da terapia com medicamento ANTI-VEGF a ANS publicou uma portaria que obriga os planos de saúde a cobrirem tratamento com essas medicações, permitindo o acesso a este tratamento para milhões de brasileiros.

O tratamento

Após exames e avaliação com um oftalmologista especialista em retina (Retinólogo) será verificado qual a melhor forma de tratamento para o paciente, qual a medicação mais indicada, entre outros fatores.

O tratamento é realizado em centro cirúrgico, para que o paciente tenha a disposição todos os recursos necessários para o sucesso do procedimento.

É aplicado um colírio anestésico e quando o olho do paciente estiver pronto a medicação é aplicada diretamente no fundo do olho, com o medicamento agindo exatamente no local onde esta a doença as chances de melhora são muito altas, milhares de estudos em importantes instituições comprovam a eficácia da técnica e dos medicamentos utilizados.

Esses estudos indicam que além de frear o avanço da doença muitos pacientes conseguem melhorar a acuidade visual.

Centro de tratamento avançado Retina Curitiba

A Retina Curitiba é um centro especializado em retina que atua dentro da Oftalmoclinica, no qual dispõe de equipamentos de ultima geração para exames e cirurgias, com um centro cirúrgico completo e uma estrutura de qualidade para atender de forma integral os pacientes.

14 mar 2014
retina curitiba degeneração macular

Tratamento avançado para Degeneração Macular Relacionada a Idade

De repente, a visão começa a ficar embaçada e as imagens ficam distorcidas. “É a velhice”, é o que muitos pensam. De fato é, mas é exatamente por isso que este sintoma exige atenção e busca por tratamento. Hoje, o oftalmologista trabalha o tempo todo para desmistificar a idéia que ‘enxergar mal’ é algo inerente ao processo de envelhecimento. Avançamos muito, por exemplo, na catarata. Hoje, são poucos os que esperam ‘a doença amadurecer’ para buscar tratamento. Temos um grande desafio ainda a ser vencido quando o assunto é a degeneração macular relacionada à idade (DMRI), pois os que sofrem com a doença pensam que a velhice retira mesmo a nitidez da visão.

O desafio é grande mesmo, pois com os indicadores sociais que apontam para um envelhecimento cada vez maior da população brasileira, esta doença tende a ser mais prevalente. A degeneração macular relacionada à idade atinge especialmente pessoas com mais de 60 anos e pode levar à cegueira se não for tratada.

Estima-se que aproximadamente 10% das pessoas entre 65 e 74 anos e cerca de 30% das com mais de 75 anos tenham a doença no mundo. De acordo com o Conselho Brasileiro de Oftalmologia, 2,9 milhões de pessoas com mais de 65 anos sofrem com o problema no Brasil. A doença atinge a mácula, a área nobre e central da retina, responsável por enxergarmos os detalhes e as cores. Com o envelhecimento, a região recebe menos oxigênio e, para compensar essa deficiência, os vasos sangüíneos começam a se reproduzirem descontroladamente. Eles se rompem e causam uma mancha que prejudica a visão, esta é uma das formas da doença – a forma úmida ou exsudativa. Já em sua forma seca, a mácula se degenera – também pela falta de oxigênio – e forma uma cicatriz, que causa perda da visão central.

Atualmente, existem tratamentos somente para a forma úmida, que atinge a menor parcela dos pacientes, cerca de 10% dos que têm a mácula degenerada. A forma seca interfere menos na acuidade visual e ocorre mais lentamente, mas, por não ter cura, deve ser diagnosticada o quanto antes.

Avanços no tratamento da doença

Todo mês de dezembro, a revista Science destaca os dez maiores avanços científicos do ano. Em 2006, uma droga para o tratamento da degeneração macular figurava entre as maiores descobertas científicas dos últimos tempos.

Em outubro de 2006, foram publicados dois estudos clínicos no The New England Journal of Medicine, mostrando que um medicamento, o ranibizumab melhora a acuidade visual de cerca de 30% dos portadores das formas mais graves de degeneração macular e interrompe a progressão da doença na maioria dos outros. A publicação serviu como argumento para o FDA (Food and Drug Admnistration) liberá-lo para comercialização nos EUA.

O ranibizumab é um anticorpo monoclonal que tem o objetivo de neutralizar uma proteína (VEGF) que estimula a proliferação de vasos sangüíneos, processo envolvido na gênese da doença.

O tratamento da DMRI já passou por várias fases, incluindo fotocoagulação a laser, remoção cirúrgica da neovascularização, translocação macular, terapia fotodinâmica (TFD) com verteporfina (Visudyne) e, atualmente, a injeção intravítrea de antiangiogênicos.

O tratamento da DMRI exsudativa com injeções intravítreas de ranibizumab representa a melhor alternativa terapêutica que dispomos hoje. São muitos os estudos multicêntricos que destacam seus resultados. Após anos e anos de evolução no tratamento da degeneração macular, esta é a primeira vez que o paciente tem um ganho real de visão.

A ressalva em relação ao tratamento concentra-se no seu alto custo. O uso de injeções mensais, por no mínimo 24 meses, representa um grande impacto financeiro na vida dos pacientes. Regimes alternativos de aplicações são buscados de modo a ter a mesma eficácia, porém com um custo menor e também com diminuição do risco de efeitos adversos. O uso de terapias associadas vem sendo testada em todo o mundo.

Mais investimentos em prevenção da doença

Ainda que não haja uma única causa conhecida para a origem da doença, sabe-se que a idade é o principal desencadeador do problema e que existem outros facilitadores da degeneração macular, como por exemplo, o excesso de colesterol no sangue.

Fumantes têm mais propensão à doença, pois o cigarro acelera a oxidação do organismo e favorece a formação de drusas, que são acúmulos de substâncias nas camadas mais profundas da retina. As drusas são fortes indicativos de que há propensão para a degeneração macular e mostram que o metabolismo está envelhecendo e não tem mais condições de eliminar as substâncias que produz. A exposição à luz solar também pode desencadear a oxidação na mácula, por ocasionar morte celular na região e degenerá-la. Por isso, deve-se, sempre, usar óculos de sol com proteção contra os raios que possam lesionar a retina.

Por enquanto, a prevenção da doença é o exame oftalmológico de rotina, que deve ser feito pelo menos anualmente, onde o oftalmologista pode solicitar exames complementares, como a angiofluoresceinografia e a tomografia de coerência óptica (OCT). O auto-exame de retina também auxilia o diagnóstico precoce. Há necessidade de campanhas para a educação dos pacientes, especialmente os idosos, sobre a existência da doença.

Outra forma de prevenção está ligada à ingestão de zinco e antioxidantes, como a luteína e o ômega 3, juntamente com a redução da ingestão de gorduras.

Temos muito a fazer com o objetivo de prevenir o surgimento da degeneração macular. É preciso envolver o oftalmologista generalista e o paciente, visando capacitá-los a realizar a detecção precoce da DMRI, quando as chances de melhora da visão e controle da doença são maiores. São necessárias também ações educativas após o diagnóstico da doença, para que o paciente faça o tratamento adequadamente e mantenha a monitorização do olho remanescente.

13 mar 2014
retina curitiba vitrectomia

Tratamento cirúrgico Vitrectomia

A Vitrectomia  é uma técnica cirúrgica muito utilizada para tratamento de doenças da retina. A Cirurgia consiste na remoção do corpo vítreo do olho, para ser possível realizar o tratamento de descolamento de retina, buraco macular, retinopatia diabética avançada, oclusões venosas, entre outras. Como é a cirurgia? Na cirurgia de Vitrectomia são utilizados equipamentos da mais alta tecnologia, para a remoção do liquido que preenche o olho, com a retirada do liquido denominado humor vítreo é possível realizar os procedimentos necessários para o tratamento das doenças da retina. O procedimento requer o uso de equipamentos de tecnologia avançada e equipe especializada para o tratamento, existem diversas formas de aplicar a Vitrectomia, cada uma delas irá variar de acordo com o caso do paciente. como podemos ver nas imagens abaixo:

Tratamento cirúrgico Vitrectomia

  A imagem acima demonstra como funciona a Vitrectomia para remoção de Hemorragia vítrea

 Tratamento da Vitrectomia

Tratamento a laser durante a cirurgia de retina, geralmente utilizado para retinopatia diabética e outras doenças.

remoção de virectomia curitiba

Técnica de remoção de membranas tracionais da retina

Em geral a cirurgia é realizada com anestesia local e o pós operatório irá depender do caso do paciente. Os equipamentos utilizados são minúsculos e não causam danos ao globo ocular, por isso utilizamos a mais alta tecnologia em nosso centro cirúrgico, para garantir maior segurança aos pacientes. O mais importante é que a Retina Curitiba e seus profissionais vem acompanhando todas essas inovações e trazendo os melhores resultados para os pacientes, a participação de congressos e especializações nacionais e internacionais é constante, desta forma mantemos nossos profissionais atualizados e nossos pacientes com o melhor tratamento disponível no mundo.

13 mar 2014
clinica especializada no tratamento da retina em curitiba

Clínica Especializada no Tratamento da Retina em Curitiba

Tratamentos avançadas em retina na cidade de Curitiba

Quando buscamos tratamento para nossa saúde sempre queremos o melhor, por isso a equipe que atua com o Dr. João Guilherme de Moraes especialista em retina sempre esta participando de congressos e especializações para aplicar as mais eficientes técnicas aos nossos pacientes.

Nosso atendimento é personalizado e primamos pela qualidade e conforto de nossos pacientes.

Em nossa estrutura localizada no Batel na Rua Bispo Dom José, 2711, dispomos de todo o tratamento necessário para cuidar dos seus olhos, desde a consulta, exames e quando necessário procedimentos e cirurgias, dispomos de equipamentos avançados para o diagnóstico das doenças do fundo do olho.

Conheça mais sobre nossos serviços clicando nos links abaixo:

Cirurgias e procedimentos

  • Tratamento quimioterápico ocular (ANTI-VEGF)
  • Vitrectomia
  • Injeção Intra Vítrea
  • Vitrectomia Via Pars Plana
  • Fotocoagulação a Laser

 Exames

  • Mapeamento de retina
  • Retinografia
  • Angiografia
  • Biomicroscopia de fundo
  • Estéreo foto da papila
  • OCT – Tomografia de Corência óptica
  • Pentacam 

Tratamento avançado para

  • Descolamento de Retina
  • Retinopatia diabética
  • DMRI – Degeneração ocular relacionada a idade
  • Retinopatia miópica
  • Infeções (toxoplasmose, rubéola)
  • Tumores intra-oculares
Call Now Button