Home Dr. João Guilherme de Moraes Dr. João Guilherme de Moraes, comenta cerca de 116 mil curitibanos podem...

Dr. João Guilherme de Moraes, comenta cerca de 116 mil curitibanos podem ter retinopatia diabética

49
0

Dr. João Guilherme de Moraes, comenta cerca de 116 mil curitibanos podem ter retinopatia diabética

Segundo dados do IBGE a diabetes atinge cerca de 6,2% da população brasileira, a doença é caracterizada por um transtorno metabólico causado por hiperglicemia (ou elevação da glicose no sangue), resultado de distúrbio no metabolismo de açúcares.

 

O crescimento dos casos de diabetes vem causando preocupação em todo o Mundo, segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde) entre 1980 e 2014 o número de casos de diabetes aumentaram 400%, passando de 105 milhões para 422 milhões!

O principal aumento da diabetes está no tipo 2, ou seja, é a diabetes que está ligada a alimentação pouco saudável associada ao sedentarismo.

 

A diabetes é conhecida como uma doença silenciosa, seus efeitos aparecem aos poucos e são muito negativos.

A retinopatia diabética

A retinopatia diabética é uma das principais causas de cegueira em pessoas jovens, é uma consequência de um controle deficitário da doença e afeta http://www.saudebemestar.pt/pt/clinica/oftalmologia/retinopatia-diretamente a retina, uma região nobre do olho, responsável pela formação da visão.

Assim como a diabetes a retinopatia diabética também é silenciosa, o paciente não percebe de imediato que algo está errado em sua visão, quando se dá conta as consequências já podem ser irreversíveis.

A Retinopatia diabética é caracterizada por danos aos vasos sanguíneos localizados na retina, ou fundo do olho, essa região é altamente vascularizada, com o avanço da doença surgem micro hemorragias, que aos poucos prejudicam os tecidos até afetar totalmente a visão, levando a cegueira.

retinopatia-diabetica-curitiba-tratamento

Apesar de não ter cura a retinopatia diabética pode ser tratada e controlada, evitando o seu progresso.

A importância de políticas públicas no controle do avanço da diabetes

É fundamental que o estado se manifeste para apoiar as entidades no controle da diabetes, e conseguir evitar o seu avanço. A cidade de Curitiba tem cerca de 1,8 milhões de habitantes, estima-se que mais de 100 mil curitibanos podem ter a diabetes e sofrer as consequências graves da doença.

O controle da doença é simples e sua prevenção é muito mais econômica, do que o combate aos sintomas. Por isso se faz necessário uma atenção especial a diabetes e seus efeitos.

 

Fontes consultadas

http://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv91110.pdf

http://www.sidra.ibge.gov.br/bda/pesquisas/pns/Volume1.asp