Home Notícias Principal causa de cegueira do mundo, glaucoma tem avanço silencioso

Principal causa de cegueira do mundo, glaucoma tem avanço silencioso

226
0

O dia 26 de maio marca o dia mundial de combate ao glaucoma, doença ocular que está entre as principais causas de cegueira irreversível do mundo. De acordo com João Guilherme de Moraes, membro do Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO), entre os fatores associados ao risco do desenvolvimento do glaucoma, os principais são pressão intraocular (PIO) elevada, histórico familiar e idade avançada. Além disso, é importante observar que as pessoas da raça negra têm maior probabilidade de desenvolver o glaucoma primário de ângulo aberto, tipo mais comum da doença.

glaucoma 2

O principal sintoma só aparece quando a doença já está em nível avançado e se caracteriza por perda de visão periférica. Com a evolução do glaucoma, o campo visual vai estreitando progressivamente até transformar-se em visão tubular. Se não houver tratamento adequado, o paciente pode ter perda total de visão, quadro que se torna irreversível.

Segundo o Dr. João Guilherme de Moraes, a visita de rotina ao oftalmologista é extremamente importante para o diagnóstico precoce do glaucoma: “Ao realizar a avaliação básica do paciente, o médico deve medir a pressão intraocular por meio do exame de tonometria. Caso a pressão esteja acima do normal, exames mais detalhados devem ser realizados”, completa.

De modo geral, a doença aparece com maior frequência a partir dos 40 anos, mas pode ocorrer em qualquer faixa de idade, dependendo da causa que provocou a pressão intraocular elevada.

Inicialmente, o tratamento do glaucoma é feito por meio do uso de medicação. Quando os resultados do tratamento medicamentoso não são satisfatórios, tratamentos com laser podem ser indicados (trabeculoplastia ou iridectomia).

Se ainda assim, o paciente não apresentar melhora na pressão intraocular, há necessidade de intervenção cirúrgica. Apesar de a cirurgia não curar o glaucoma, ela cria um novo canal de drenagem que diminui a pressão intraocular e, assim, evita a piora do quadro.

A recomendação do Dr. João Guilherme de Moraes é que pessoas que se encontram no grupo de risco façam visitas regulares ao oftalmologista, possibilitando assim, diagnóstico precoce dessa e de outras doenças.