Home Uncategorized Quais são as partes que compõem o olho humano?

Quais são as partes que compõem o olho humano?

2799
0
anatomia do olho humano

Umas das partes do corpo humano que são mais complexas e sensíveis são os olhos. Cada parte que de que é formado os globos oculares são responsáveis por uma tarefa. A união delas nos possibilitam ter uma visão mais clara e com nitidez.

A maioria dessas estruturas fazem em conjunto o seu trabalho, ou dando seguimento para quem vai suceder a informação de início que chega com a luminosidade. Os olhos estão saudáveis durante o funcionamento equilibrado e harmonioso. Entretanto, o surgimento de problemas pode acontecer e gerar doenças nos olhos ou atrapalhar a visão, quando isso não ocorrer.

Por essa razão, é essencial termos conhecimento da anatomia dos globos oculares, e de como cada uma dessas estruturas e suas funções são importantes. Dessa forma, é possível cuidar mais da capacidade de visão.

Por isso, continue a leitura e aprenda mais sobre essa parte do corpo tão fundamental para o ser humano.

Saiba mais sobre a anatomia do olho humano e conheça quais funções têm suas partes

O globo ocular está envolvido por camadas adiposas (de gordura) que estão localizadas em uma cavidade do crânio chamada de cavidade ocular. Elas protegem mais e possibilitam a movimentação com liberdade. Os 6 músculos oculares são os que regem os movimentos dos olhos.

Porém, existem outras partes, que fazem com que a anatomia do olho se torne uma parte muito curiosa e complexa, afinal, cada uma dessas é fundamental para permitir a nossa visão.

Descubra como é a composição do olho e saiba a função de cada um desses componentes.

anatomia do olho humano

ESCLERA

A esclerótica, mais conhecida como esclera, é o componente branco do olho que está relacionado à córnea. Está localizada na parte externa do globo ocular e possui o dever de proteger as estruturas mais internas.

Essa estrutura do globo ocular é uma membrana fibrosa que está recoberta da conjuntiva bulbar. É nessa parte do olho que são fixados os músculos extra oculares, que devem realizar os variados movimentos dos olhos.

CÓRNEA

A parte mais externa do globo ocular é a córnea, que tem a atribuição de focalizar a luz que chega aos olhos. Por causa disso é denominado a “janela” deles. Trata-se de um tecido translúcido que fica em toda a frente do olho, por meio do qual pode-se ver a íris e a pupila.

Ela possui uma curvatura que não é regular e a região central mais plana que o espaço periférico.

Um dos propósitos é fazer a proteção do olho contra traumas e de contaminações, também mantendo o formato do olho. O conjunto das lágrimas e as pálpebras superiores e inferiores fazem a limpeza natural da córnea.

CORPO CILIAR

Atrás da íris fica o corpo ciliar. Essa estrutura tem responsabilidade na formação do humor aquoso, que é um dos fluídos intra oculares.  Também, tem a função de manter a pressão ocular apropriada e o formato esférico.

A contração dessa parte gera uma alteração na formação do cristalino, o que modifica o foco da visão. O corpo ciliar permite o ajuste do olhar para vermos o que está perto ou longe, assim como a câmera.

CONJUNTIVA

A membrana mucosa transparente e fina é a conjuntiva. A função dela é proteger a superfície do olho contra agentes externos e lubrificar os olhos. Ela tem duas porções diferentes que recebem nomes diferentes.

Quando a conjuntiva recobre a parte branca do olho, ela se chama bulbar. Já as porções que recobrem as pálpebras são denominadas de tarsal, nela é possível encontrar vários vasos sanguíneos.

ÍRIS

Essa é a estrutura mais escura dos olhos, possui uma abertura central (a pupila) e algumas vezes coloridas, (olhos verdes e azuis ) e ficam na parte de trás da córnea. Em cada pessoa, os olhos são definidos pelo pigmento que está presente na íris.  Ele varia a depender de quanto existe de melanina armazenada, que se define através de 150 genes diferentes.

Nas pessoas ao redor do mundo, os genes que predominam fazem com que os olhos castanhos sejam o tipo mais comum, seguindo o avelã e o azul.  Há algumas variações genéticas que fazem com que existam cores muito raras, como, por exemplo, o âmbar, o vermelho ou o violeta, preto e verde. Somente 2% das pessoas têm os olhos com essa última tonalidade.

A íris define o tom dos olhos e apresenta vários músculos lisos que fazem o controle da abertura e do fechamento da pupila, e agem como o diafragma de uma câmera fotográfica.

Essa abertura vai variar em função inversa à luminosidade que há no local. Dessa forma, quanto menos luz disponibilizada, mais ela dilata para aproveitar bem a luminosidade.

HUMOR VÍTREO

O vítreo ou o corpo vítreo como também pode ser chamado, é uma parte gelatinosa e viscosa da anatomia do olho ocupando o centro do olho. O volume médio dele é de aproximadamente 4 ml em cada um deles.

Quando o ser humano nasce, o humor vítreo tem a composição densa, e depois de algum tempo acontece a liquefação e consequentemente o descolamento do mesmo. Por causa desse descolamento do vítreo, percebe-se que pequenas manchas no espaço da visão, que é comum chamarmos de moscas volantes.

CRISTALINO

Logo atrás da pupila, se localiza o cristalino que é uma estrutura gelatinosa e elástica. A sua estrutura é convergente e focaliza a luz que entra na pupila e faz a formação das imagens na retina. Quem faz o ajuste fino para a leitura e o foco é o cristalino, por exemplo.

A flexibilidade da própria estrutura do cristalino é o que faz o ajuste. Ele começa a perder essa característica entre os 40 e os 50 anos, e acaba surgindo a presbiopia, o que também é chamado de “vista cansada”. Depois, essa parte pode escurecer e endurecer, o que impede a passagem da luminosidade e constitui a catarata.

NERVO ÓPTICO

A união de fibras nervosas das células ganglionares da retina formam o nervo óptico. Os cones e bastonetes da retina captam a imagem que é transmitida para o cérebro  através dele, dessa forma, essa estrutura é fundamental para que a gente consiga enxergar. Por toda a extensão do nervo óptico passam vasos sanguíneos que levam o oxigênio e os nutrientes.

RETINA

A parte do globo ocular onde são formados as imagens do que podemos ver é a retina, sendo a camada mais interior do olho. Ela é um fino tecido nervoso que faz a transmissão das informações para o cérebro através do nervo óptico.

Os cones e bastonetes são as células da retina que são sensíveis à luz. O centro dela é conhecido como mácula, e tem vários cones, que são responsáveis pela visão das cores e de detalhes. O resto da retina é constituído basicamente  de bastonetes (têm menos sensibilidade à cores).

Entretanto, esses bastonetes têm muita sensibilidade na baixa intensidade luminosa. Dessa forma, quando um lugar tem pouca luz, os bastonetes são responsáveis pela visão. Isso é, eles que nos fazem com que possamos enxergar no escuro.

COROIDE

A camada média do globo ocular é a coroide que está situada entre a retina e a esclera. Essa membrana é muito vascularizada, muito fina e pigmentada de forma intensa.

O que supre as células da retina e da esclera com o oxigênio e nutrientes que são necessários são os vasos sanguíneos.

Por esse motivo, essa parte da anatomia do olho é fundamental para atestar a manutenção dessas duas partes e, como consequência, o bom funcionamento da visão.

CÍLIOS

Os pequenos pêlos situados nas bordas externas das pálpebras são chamados de cílios. Eles formam uma franja que protege os olhos de sujeiras ou partículas que fiquem suspensas no ar, retendo eles e impedindo que alcancem o olho.

São também chamadas de celhas ou pestanas,e auxiliam na complementação de forma significativa a proteção do olho. Mas, a depender de qual ameaça for, não é muito eficaz, considerando que o fechamento das pálpebras agem mais efetivamente.

PÁLPEBRAS

Os anexos oculares são chamados de pálpebras, e são formadas de um tecido músculo-fibroso que são recobertos por pele, externamente e na parte conjuntiva, que é interna. A principal responsabilidade é fazer a distribuição das lágrimas através da superfície do olho e fazer a “limpeza” da córnea.

As pálpebras se movimentam por causa dos músculos que estão na parte superior dos olhos. Eles fazem a contração, retraindo ou estendendo as pálpebras que ajudam a abrir ou fechar o olho. E isso pode ser um ato voluntário ou involuntário, e nessa última situação, é uma forma de proteção que é acionada pelo corpo quando um objeto faz a aproximação do olho, por exemplo.

MÁCULA

É uma parte central bem pequena da anatomia do olho. É responsável por garantir uma visão centralizada, enquanto estamos lendo ou fazendo alguma atividade cujo campo visual é limitado.

A fóvea central está circundando a pequena parte do olho, e é justamente a parte do olho que possibilita melhor definição para que possamos enxergar com detalhes. Por causa disso, qualquer dificuldade nela afeta de forma significativa a visão central.

PUPILA

É a abertura central da íris, e o diâmetro dela é regulável, se alterando de forma que uma menor ou maior quantidade de luz entra nas porções internas do olho.

A anatomia do globo ocular possui suas partes dependentes e complexas. Quando há a manifestação de doenças oculares, existe uma alteração nas estruturas o que impede o bom funcionamento do conjunto, por isso o paciente não tem capacidade de enxergar direito ou acaba perdendo a visão em uma parte do olho.

É essencial consultar um médico oftalmologista também.

GLÂNDULA LACRIMAL

Situada na parte interna da pálpebra superior mais ao lado olho, a glândula lacrimal, tem a função de produzir as lágrimas, que umedecem a superfície ocular, fazem a nutrição da córnea e removem substâncias estranhas que chegam nos olhos.

As glândulas lacrimais não funcionam sozinha, pois os ductos lacrimais ajudam na condução das lágrimas. A distribuição das lágrimas através da superfície do olho são feitas pela movimentação das pálpebras (ao piscar).

HUMOR AQUOSO

Um líquido com aspecto transparente e incolor é chamado de humor aquoso, é composto por água e eletrólitos. Fica situado nas câmaras anteriores do olho, que fica entre a córnea e o cristalino.

O humor aquoso é responsável de nutrir a córnea e do cristalino, e contribuem para regular a pressão interna do olho, sendo fundamental para manter o metabolismo nutricional dos olhos e uma ótima função da visão.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor insira seu nome aqui