Rua Bispo Dom José, 2711 Seminário - Curitiba/PR
Seg-Sex: 08:00 - 18:30
18 maio 2014

Injeção intra-vitrea de medicamentos anti-VEGF – dr. João Guilherme de Moraes

A expectativa de vida da população aumenta ano a ano, segundo estudos da OMS entre 1990 e 2012 o aumento da média de vida mundial foi de 6 anos, embora os dados sejam animadores trazem consigo muitos desafios no que tange a saúde das pessoas. Dentro deste contexto podemos citar as doenças relacionadas a visão, chegar aos 70,80,90 anos ou mais, tem suas implicações, todos queremos chegar nessa fase da vida desfrutando de uma boa saúde e isso inclui nossa visão, isso porque 80% de nossa interação com o mundo externo se dá para pela visão.

Algumas doenças estão diretamente ligadas ao avanço da idade uma delas é a Degeneração Macular Relacionada a Idade  – DMRI, essa doença é causada pelo depósito de restos celulares no fundo do olho e é responsável por causar cegueira em pessoas com mais de 50 anos de idade, veja mais sobre DMRI.

Nos últimos anos um tratamento para alguns tipos de DMRI vem tornando-se uma das principais armas da medicina para enfrentar o avanço dessa doença, são conhecidas como injeção intra-vítrea de medicamentos anti-VEGF, este tipo de tratamento medicamentoso tem obtidos excelentes resultados para os pacientes, porque em muitos casos além de conter o avanço da DMRI é possível ter significativa melhora da visão.

O Dr. João Guilherme de Moraes explica que o tratamento é muito eficaz e vem ganhando cada vez mais espaço no Brasil, antigamente o acesso era muito restrito, porém em 2010 o governo publicou uma lei que obriga os planos de saúde a oferecerem este tipo de tratamento para os pacientes, auxiliando milhões de pessoas a ter a possibilidade de tratar a DMRI e outras doenças.

A injeção-intra vítrea nada mais do que a aplicação de um medicamento diretamente na região afetada, aumentando as chances e o efeito do tratamento, os medicamentos Anti-VEGF são importante porque conseguem conter o avanço da DMRI e em muitos casos melhorando a visão do paciente nos contas Dr. João Guilherme de Moraes

O Centro de Retina Curitiba localizado na rua Bispo Dom José nº 271 disponibiliza este tipo de tratamento e já beneficiou mais de 600 pacientes, com muito sucesso na sua recuperação.

Os medicamentos Anti-VEGF são muitos eficazes e centenas de estudos no Brasil, Europa e EUA vem comprovando seus resultados, o paciente pode ficar tranqüilo quando busca o tratamento porque a equipe da Retina Curitiba é amplamente treinada, participando constantemente de congressos, cursos, especializações, nacionais e internacionais para aprimorar a técnica, diz o Dr. João Guilherme de Moraes.

16 mar 2014
tratamento anti vegf

Tratamento ANTI-VEGF injeção intra vítrea Curitiba

O tratamento é feito com a infusão de medicamentos que inibem o desenvolvido da DMRI, a doença surge na mácula, uma região com uma grande concentração de Fotoreceptores, espécie de cones que são responsáveis pela visão, abaixo da camada de fotoreceptores da retina temos as camadas de epitélio pigmentado e a de bruch, com o envelhecimento, as pessoas predispostas a DMRI, inicia-se um processo que causa lesões nessas camadas, também conhecidas como Drusas, que são depósitos brancos e amarelados, que numa quantidade grande constituem a DMRI e levam a perda da visão.

retinografia de DMRI

Entenda mais lendo os artigos abaixo:

Tratamento ocular ANTI VEGF

Tratamento da DMRI – Degeneração macular relacionada a idade

Cirurgia Degeneração macular relacionada a idade

16 mar 2014
injecao_intravitrea2

Tratamento ocular quimioterápico com ANTI-VEGF Antioangenico

O Tratamento quimioterápico ocular Antioangênico é indicado para pacientes com DMRI úmida ou exsudativa, com a presença de membrana neovascular sub retianiana que causa perda abrupta da visão.

No Brasil cerca de 10% da causa de cegueira em pacientes com idade acima de 65 anos é devido a DMRI, dentro deste grupo 10% podem desenvolver a DMRI úmida exsudativa, a forma mais agressiva da doença.

O tratamento com Anti-VGEF tem demonstrado bons resultados nesses casos, retardando a perda da visão e até mesmo melhorando a visão do paciente.

Como é feito o tratamento Quimioterápico ocular – ANTI-VEGF?

O tratamento é feito com a infusão de medicamentos que inibem o desenvolvido da DMRI, a doença surge na mácula, uma região com uma grande concentração de Fotoreceptores, espécie de cones que são responsáveis pela visão, abaixo da camada de fotoreceptores da retina temos as camadas de epitélio pigmentado e a de bruch, com o envelhecimento, as pessoas predispostas a DMRI, inicia-se um processo que causa lesões nessas camadas, também conhecidas como Drusas, que são depósitos brancos e amarelados, que numa quantidade grande constituem a DMRI e levam a perda da visão.

15 mar 2014

Mais de 20 mil pessoas podem ter Degeneração Macular em Curitiba

Segundo dados da OMS cerca de 10% das pessoas com mais de 65 anos no Brasil podem ser vitimas da DMRI – Degeneração Macular Relacionada à Idade, em pessoas com idade acima de 75 anos esse percentual aumenta para 30% dos casos, que em Curitiba totaliza 23 mil pessoas aproximadamente.

A Degeneração Macular Relacionada à Idade (DMRI) é uma das principais causas de cegueira irreversível no Ocidente e acomete pessoas acima de 60 anos de idade. A Doença afeta diretamente a Mácula região central e mais importante da Retina, que é responsável pela captação de imagens que permitem as pessoas enxergar tudo que esta a sua frente, além de possibilitar a visão de cores.

A doença é silenciosa, pois avança lentamente e quando o paciente percebe a perda visual causada pela DMRI o estágio pode estar avançado, e isso depende muito de cada caso, explica o Dr. João Guilherme de Moraes especialista em retina e membro Sociedade Brasileira de Retina e Vítreo (SBRV).

Degeneração macular relacionada a idade

O tratamento da DMRI quando diagnosticada pode ser feito com medicações aplicadas no olho ou tratamentos com cirurgia a laser, os resultados são melhores quanto mais cedo for o diagnostico, por isso é muito importante o acompanhamento com um oftalmologista de confiança, o profissional que é especialista neste tipo de doença é conhecido como Retinólogo, uma formação especifica do médico oftalmologista para tratamento de doenças do fundo do olho, nos conta a médica retinóloga Dra. Camila Winckler.

DMRI

O Dr. João Guilherme de Moraes conta que a DMRI pode ser causada por vários fatores, como genética, metabólicos e ambientais, sabe-se que a exposição excessiva a radiação solar pode estar associado ao desenvolvimento da doença, mas não é o único fator desencadeante, pessoas de pele e Iris mais claras também podem estar mais sujeitas a DMRI, salienta ainda que uma alimentação rica em gorduras fazem parte do quadro de pessoas com a doença. Portanto é regra de ouro sempre será uma vida saudável com alimentação equilibrada e pratica de exercícios físicos. Tal atitude pode evitar essa e outras doenças e melhorar a qualidade de vida de qualquer individuo.

Aplicação da injeção intravítrea
Aplicação da injeção intravítrea
15 set 2010

Tratamento da DMRI – Degeneração Macular Relacionada a Idade

anos e anos de evolução no tratamento da degeneração macular, esta é a primeira vez que o paciente tem um ganho real de visão.

A ressalva em relação ao tratamento concentra-se no seu alto custo. O uso de injeções mensais, por no mínimo 24 meses, representa um grande impacto financeiro na vida dos pacientes. Regimes alternativos de aplicações são buscados de modo a ter a mesma eficácia, porém com um custo menor e também com diminuição do risco de efeitos adversos. O uso de terapias associadas vem sendo testada em todo o mundo.

 

Mais investimentos em prevenção

Ainda que não haja uma única causa conhecida para a origem da doença, sabe-se que a idade é o principal desencadeador do problema e que existem outros facilitadores da degeneração macular, como por exemplo, o excesso de colesterol no sangue.

Fumantes têm mais propensão à doença, pois o cigarro acelera a oxidação do organismo e favorece a formação de drusas, que são acúmulos de substâncias nas camadas mais profundas da retina. As drusas são fortes indicativos de que há propensão para a degeneração macular e mostram que o metabolismo está envelhecendo e não tem mais condições de eliminar as substâncias que produz. A exposição à luz solar também pode desencadear a oxidação na mácula, por ocasionar morte celular na região e degenerá-la. Por isso, deve-se, sempre, usar óculos de sol com proteção contra os raios que possam lesionar a retina.

Por enquanto, a prevenção da doença é o exame oftalmológico de rotina, que deve ser feito pelo menos anualmente, onde o oftalmologista pode solicitar exames complementares, como a angiofluoresceinografia e a tomografia de coerência óptica (OCT). O auto-exame de retina também auxilia o diagnóstico precoce. Há necessidade de campanhas para a educação dos pacientes, especialmente os idosos, sobre a existência da doença.

 Outra forma de prevenção está ligada à ingestão de zinco e antioxidantes, como a luteína e o ômega 3, juntamente com a redução da ingestão de gorduras.

 

Temos muito a fazer com o objetivo de prevenir o surgimento da degeneração macular. É preciso envolver o oftalmologista generalista e o paciente, visando capacitá-los a realizar a detecção precoce da DMRI, quando as chances de melhora da visão e controle da doença são maiores. São necessárias também ações educativas após o diagnóstico da doença, para que o paciente faça o tratamento adequadamente e mantenha a monitorização do olho remanescente.

Call Now Button