Rua Bispo Dom José, 2711 Seminário - Curitiba/PR
Seg-Sex: 08:00 - 18:30
08 jun 2014

Dr João Guilherme de Moraes está nos USA fazendo treinamento de novo tratamento (Ozurdex) na Universidade Califórnia (Irvine Health) no Gavin Herbert Eye Institute.

Buscando o constante aprimoramento e tratamentos avançados para melhorar a saúde dos seus pacientes o Dr. João Guilherme de Moraes esta participando de um treinamento exclusivo para o uso do medicamento Ozurdex, trata-se de uma nova forma de tratar doenças do fundo do olho, em vez da aplicação direta do medicamento no olho do paciente, o ozurdex é implantando dentro do olho e passa a liberar a medicação de forma continua, sendo um tratamento de longo prazo, com eficácia e segurança aprovada pela ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

A medicação só estava disponível para pacientes dos Estados Unidos mas com a aprovação da ANVISA muitas pessoas poderão ter acesso ao eficaz medicamento Ozurdex.

Dr. João Guilherme de Moraes em frente ao Instituto Gavin Herbet Eye
Dr. João Guilherme de Moraes em frente ao Instituto Gavin Herbet Eye

O Dr. João Guilherme de Moraes é um dos primeiros médicos a receber esta treinamento avançado, no renomado instituto Gavin Herbert Eye da Universidade da Califórnia, o instituto é mundialmente conhecido por suas pesquisas avançadas para tratamento de doenças oftalmológicas, possui cursos de especialização, formação e pesquisa com foco em saúde ocular.

Um dos principais Institutos de pesquisa, formação e tratamento de doenças oftalmológicas do Mundo.
Um dos principais Institutos de pesquisa, formação e tratamento de doenças oftalmológicas do Mundo.

Com esta formação especial o Dr. João Guilherme de Moraes é um dos poucos médicos a receber o treinamento exclusivo da equipe que desenvolveu a nova tecnologia, que tem trazido resultados excelente para pacientes dos EUA e Europa.

Doenças como DMRI, Edema da Retina, Isquemia da Retina podem ser tratadas com mais eficácia e resultados melhores para os pacientes.

O mais importante segundo o Dr. João Guilherme de Moraes é ter mais uma opção de tratamento para os pacientes, assim podemos oferecer mais possibilidades aos nossos pacientes, de acordo com sua necessidade, cada caso é avaliado e temos disponíveis muitas opções de tratamento, isso é um conforto a mais para nossos pacientes, garantindo o que há de mais moderno e atual na medicina.

 

26 maio 2014
cinco coisas sobre descolamento de retina

5 coisas que você não sabia sobre descolamento de retina

O que é a retina?

A retina é uma membrana muito fina que reveste a superfície interna do olho, é um tecido muito importante, pois abriga milhares de foto receptores, responsáveis por captar a luz e transformar em sinais elétricos que o cérebro ira codificar em imagens.

O que é o Descolamento de retina?

É quando a membrana da retina por algum motivo descola da superfície do olho e fica “solta”, é o desprendimento da retina do olho.

Quais são as causas do descolamento da retina?

Não existe uma causa exclusiva para o descolamento da retina, pode estar associado a fatores como cirurgias no olho, miopia, diabetes, histórico familiar de descolamento de retina e traumas, como quedas e acidentes.

Outros fatores como sedentarismo e tabagismo podem auxiliar ao descolamento de retina, são tidos como fatores de risco.

Quais sintomas?

Luzes piscando no olho, feixe de luz no centro do olho, flash luminosos,  sombra ou cortina escura no olho

O que devo fazer?

Procure imediatamente um oftalmologista especialista em retina,  este irá realizar exames para fazer o correto diagnostico, esses exames irão indicar qual a melhor forma de tratamento.

Equipe retina Curitiba

Dr João Guilherme de Moraes

LEIA SOBRE DESCOLAMENTO DA RETINA

5 coisas que você não sabia sobre descolamento de retina

Descolamento de retina Curitiba

Descolamento de Retina Infográfico

Descolamento de retina: entenda o que é

Cirurgia de Deslocamento de Retina

18 maio 2014

Injeção intra-vitrea de medicamentos anti-VEGF – dr. João Guilherme de Moraes

A expectativa de vida da população aumenta ano a ano, segundo estudos da OMS entre 1990 e 2012 o aumento da média de vida mundial foi de 6 anos, embora os dados sejam animadores trazem consigo muitos desafios no que tange a saúde das pessoas. Dentro deste contexto podemos citar as doenças relacionadas a visão, chegar aos 70,80,90 anos ou mais, tem suas implicações, todos queremos chegar nessa fase da vida desfrutando de uma boa saúde e isso inclui nossa visão, isso porque 80% de nossa interação com o mundo externo se dá para pela visão.

Algumas doenças estão diretamente ligadas ao avanço da idade uma delas é a Degeneração Macular Relacionada a Idade  – DMRI, essa doença é causada pelo depósito de restos celulares no fundo do olho e é responsável por causar cegueira em pessoas com mais de 50 anos de idade, veja mais sobre DMRI.

Nos últimos anos um tratamento para alguns tipos de DMRI vem tornando-se uma das principais armas da medicina para enfrentar o avanço dessa doença, são conhecidas como injeção intra-vítrea de medicamentos anti-VEGF, este tipo de tratamento medicamentoso tem obtidos excelentes resultados para os pacientes, porque em muitos casos além de conter o avanço da DMRI é possível ter significativa melhora da visão.

O Dr. João Guilherme de Moraes explica que o tratamento é muito eficaz e vem ganhando cada vez mais espaço no Brasil, antigamente o acesso era muito restrito, porém em 2010 o governo publicou uma lei que obriga os planos de saúde a oferecerem este tipo de tratamento para os pacientes, auxiliando milhões de pessoas a ter a possibilidade de tratar a DMRI e outras doenças.

A injeção-intra vítrea nada mais do que a aplicação de um medicamento diretamente na região afetada, aumentando as chances e o efeito do tratamento, os medicamentos Anti-VEGF são importante porque conseguem conter o avanço da DMRI e em muitos casos melhorando a visão do paciente nos contas Dr. João Guilherme de Moraes

O Centro de Retina Curitiba localizado na rua Bispo Dom José nº 271 disponibiliza este tipo de tratamento e já beneficiou mais de 600 pacientes, com muito sucesso na sua recuperação.

Os medicamentos Anti-VEGF são muitos eficazes e centenas de estudos no Brasil, Europa e EUA vem comprovando seus resultados, o paciente pode ficar tranqüilo quando busca o tratamento porque a equipe da Retina Curitiba é amplamente treinada, participando constantemente de congressos, cursos, especializações, nacionais e internacionais para aprimorar a técnica, diz o Dr. João Guilherme de Moraes.

16 mar 2014
medicacao

O Dr. João Guilherme Oliveira Moraes participa de simpósio internacional

O Dr. João Guilherme Oliveira de Moraes participará do 36 SIMASP (Simpósio Internacional Moacyr Álvaro), organizado pelo departamento de Oftalmologia da Escola Paulista de Medicina e Hospital São Paulo (UNIFESP), a realizar-se de 7 a 9 de março, na cidade de São Paulo-SP.

Neste Simpósio haverá o lançamento no Brasil de uma nova medicação chamada Aflibercepte, de nome comercial Eylia e comercializado pela empresa farmacêutica Bayer, liberada pela ANVISA primeiramente para tratamento da DMRI (Degeneração Macular Relacionada a Idade) na forma úmida ou neovascular,doença esta considerada a principal causa, em nível mundial, de perda de visão central em adultos acima de 65 anos e associada a deterioração na qualidade de vida destes pacientes em vários aspectos. Tem ainda indicações no tratamento de Oclusões venosas e no Edema Macular Diabético.

O Eylia, já aprovado também nos Estados Unidos, trata-se de terapia anti-VEGF, aplicada por meio de injeção intravítrea, com provável diminuição na freqüência necessária de aplicações em relação as drogas com ação anti-VEGF já existentes no mercado brasileiro.

14 mar 2014
retina curitiba degeneração macular

Tratamento avançado para Degeneração Macular Relacionada a Idade

De repente, a visão começa a ficar embaçada e as imagens ficam distorcidas. “É a velhice”, é o que muitos pensam. De fato é, mas é exatamente por isso que este sintoma exige atenção e busca por tratamento. Hoje, o oftalmologista trabalha o tempo todo para desmistificar a idéia que ‘enxergar mal’ é algo inerente ao processo de envelhecimento. Avançamos muito, por exemplo, na catarata. Hoje, são poucos os que esperam ‘a doença amadurecer’ para buscar tratamento. Temos um grande desafio ainda a ser vencido quando o assunto é a degeneração macular relacionada à idade (DMRI), pois os que sofrem com a doença pensam que a velhice retira mesmo a nitidez da visão.

O desafio é grande mesmo, pois com os indicadores sociais que apontam para um envelhecimento cada vez maior da população brasileira, esta doença tende a ser mais prevalente. A degeneração macular relacionada à idade atinge especialmente pessoas com mais de 60 anos e pode levar à cegueira se não for tratada.

Estima-se que aproximadamente 10% das pessoas entre 65 e 74 anos e cerca de 30% das com mais de 75 anos tenham a doença no mundo. De acordo com o Conselho Brasileiro de Oftalmologia, 2,9 milhões de pessoas com mais de 65 anos sofrem com o problema no Brasil. A doença atinge a mácula, a área nobre e central da retina, responsável por enxergarmos os detalhes e as cores. Com o envelhecimento, a região recebe menos oxigênio e, para compensar essa deficiência, os vasos sangüíneos começam a se reproduzirem descontroladamente. Eles se rompem e causam uma mancha que prejudica a visão, esta é uma das formas da doença – a forma úmida ou exsudativa. Já em sua forma seca, a mácula se degenera – também pela falta de oxigênio – e forma uma cicatriz, que causa perda da visão central.

Atualmente, existem tratamentos somente para a forma úmida, que atinge a menor parcela dos pacientes, cerca de 10% dos que têm a mácula degenerada. A forma seca interfere menos na acuidade visual e ocorre mais lentamente, mas, por não ter cura, deve ser diagnosticada o quanto antes.

Avanços no tratamento da doença

Todo mês de dezembro, a revista Science destaca os dez maiores avanços científicos do ano. Em 2006, uma droga para o tratamento da degeneração macular figurava entre as maiores descobertas científicas dos últimos tempos.

Em outubro de 2006, foram publicados dois estudos clínicos no The New England Journal of Medicine, mostrando que um medicamento, o ranibizumab melhora a acuidade visual de cerca de 30% dos portadores das formas mais graves de degeneração macular e interrompe a progressão da doença na maioria dos outros. A publicação serviu como argumento para o FDA (Food and Drug Admnistration) liberá-lo para comercialização nos EUA.

O ranibizumab é um anticorpo monoclonal que tem o objetivo de neutralizar uma proteína (VEGF) que estimula a proliferação de vasos sangüíneos, processo envolvido na gênese da doença.

O tratamento da DMRI já passou por várias fases, incluindo fotocoagulação a laser, remoção cirúrgica da neovascularização, translocação macular, terapia fotodinâmica (TFD) com verteporfina (Visudyne) e, atualmente, a injeção intravítrea de antiangiogênicos.

O tratamento da DMRI exsudativa com injeções intravítreas de ranibizumab representa a melhor alternativa terapêutica que dispomos hoje. São muitos os estudos multicêntricos que destacam seus resultados. Após anos e anos de evolução no tratamento da degeneração macular, esta é a primeira vez que o paciente tem um ganho real de visão.

A ressalva em relação ao tratamento concentra-se no seu alto custo. O uso de injeções mensais, por no mínimo 24 meses, representa um grande impacto financeiro na vida dos pacientes. Regimes alternativos de aplicações são buscados de modo a ter a mesma eficácia, porém com um custo menor e também com diminuição do risco de efeitos adversos. O uso de terapias associadas vem sendo testada em todo o mundo.

Mais investimentos em prevenção da doença

Ainda que não haja uma única causa conhecida para a origem da doença, sabe-se que a idade é o principal desencadeador do problema e que existem outros facilitadores da degeneração macular, como por exemplo, o excesso de colesterol no sangue.

Fumantes têm mais propensão à doença, pois o cigarro acelera a oxidação do organismo e favorece a formação de drusas, que são acúmulos de substâncias nas camadas mais profundas da retina. As drusas são fortes indicativos de que há propensão para a degeneração macular e mostram que o metabolismo está envelhecendo e não tem mais condições de eliminar as substâncias que produz. A exposição à luz solar também pode desencadear a oxidação na mácula, por ocasionar morte celular na região e degenerá-la. Por isso, deve-se, sempre, usar óculos de sol com proteção contra os raios que possam lesionar a retina.

Por enquanto, a prevenção da doença é o exame oftalmológico de rotina, que deve ser feito pelo menos anualmente, onde o oftalmologista pode solicitar exames complementares, como a angiofluoresceinografia e a tomografia de coerência óptica (OCT). O auto-exame de retina também auxilia o diagnóstico precoce. Há necessidade de campanhas para a educação dos pacientes, especialmente os idosos, sobre a existência da doença.

Outra forma de prevenção está ligada à ingestão de zinco e antioxidantes, como a luteína e o ômega 3, juntamente com a redução da ingestão de gorduras.

Temos muito a fazer com o objetivo de prevenir o surgimento da degeneração macular. É preciso envolver o oftalmologista generalista e o paciente, visando capacitá-los a realizar a detecção precoce da DMRI, quando as chances de melhora da visão e controle da doença são maiores. São necessárias também ações educativas após o diagnóstico da doença, para que o paciente faça o tratamento adequadamente e mantenha a monitorização do olho remanescente.

13 mar 2014
retina curitiba vitrectomia

Tratamento cirúrgico Vitrectomia

A Vitrectomia  é uma técnica cirúrgica muito utilizada para tratamento de doenças da retina. A Cirurgia consiste na remoção do corpo vítreo do olho, para ser possível realizar o tratamento de descolamento de retina, buraco macular, retinopatia diabética avançada, oclusões venosas, entre outras. Como é a cirurgia? Na cirurgia de Vitrectomia são utilizados equipamentos da mais alta tecnologia, para a remoção do liquido que preenche o olho, com a retirada do liquido denominado humor vítreo é possível realizar os procedimentos necessários para o tratamento das doenças da retina. O procedimento requer o uso de equipamentos de tecnologia avançada e equipe especializada para o tratamento, existem diversas formas de aplicar a Vitrectomia, cada uma delas irá variar de acordo com o caso do paciente. como podemos ver nas imagens abaixo:

Tratamento cirúrgico Vitrectomia

  A imagem acima demonstra como funciona a Vitrectomia para remoção de Hemorragia vítrea

 Tratamento da Vitrectomia

Tratamento a laser durante a cirurgia de retina, geralmente utilizado para retinopatia diabética e outras doenças.

remoção de virectomia curitiba

Técnica de remoção de membranas tracionais da retina

Em geral a cirurgia é realizada com anestesia local e o pós operatório irá depender do caso do paciente. Os equipamentos utilizados são minúsculos e não causam danos ao globo ocular, por isso utilizamos a mais alta tecnologia em nosso centro cirúrgico, para garantir maior segurança aos pacientes. O mais importante é que a Retina Curitiba e seus profissionais vem acompanhando todas essas inovações e trazendo os melhores resultados para os pacientes, a participação de congressos e especializações nacionais e internacionais é constante, desta forma mantemos nossos profissionais atualizados e nossos pacientes com o melhor tratamento disponível no mundo.

Call Now Button