Rua Bispo Dom José, 2711 Seminário - Curitiba/PR
Seg-Sex: 08:00 - 18:30
20 out 2015

Nova logomarca da Retina

Nova logomarca da Retina Curitiba

Nossa marca mudou, porque nossa essência é a constante evolução.

Visando acompanhar o progresso de nossa equipe, que busca constantemente o conhecimento, aliado a técnica e a tecnologia.

Atualizamos nossa logomarca deixando-a mais moderna e alinhada com nossa visão de futuro.

13 out 2015

DMRI exsudativa tratamento

A DMRI é uma doença que atinge pessoas com idade acima de 60 anos, a doença não tem uma causa especifica, mas sua principal característica é a perda da visão central.

Existem dois tipos de DMRI a Seca e a Úmida (exsudativa), sendo que a segunda é mais agressiva e causa perda da visão central.

A DMRI úmida ou exsudativa é caracterizada pela formação de vasos sanguíneos anormais na retina, esses vasos sanguíneos anormais são altamente prejudiciais para a visão, sobretudo quando se rompem e provocam hemorragia. Os efeitos da DMRI úmida são devastadores a perda da visão central é acentuada, impedindo o individuo de realizar tarefas simples e reduzindo consideravelmente a qualidade de vida.


As causas da DMRI (Degeneração macular relacionada à idade) não são claras ainda. Algumas ações ajudam a prevenir a doença como evitar o tabagismo, ter uma alimentação saudável, não ingerir bebidas alcoólicas e praticar atividades físicas regularmente. Essas ações em conjunto previnem não somente a DMRI mas outras doenças.

A DMRI Tem tratamento

O tratamento da DMRI úmida ou exsudativa pode ser feito com cobertura do convênio, uma norma determinada pela ANS (Agência Nacional de Saúde) garante que o tratamento tenha cobertura, por isso se sua visão não está boa e você possui mais de 60 anos, procure nossa clínica o quanto antes para uma consulta.

Link norma ANS: http://www.cbo.com.br/novo/medico/pdf/jo/ed141/13.pdf

Atualmente o tratamento mais eficiente para a DMRI úmida é a aplicação de medicamento diretamente sob a região afetada, ou seja, dentro do olho. A técnica é conhecida como injeção intra-vítrea e os medicamentos são Anti-VEGF, eles bloqueiam a proteína VEGF que causa o crescimento anormal dos vasos, assim a DMRI para de progredir. O mais interessante é que em muitos casos a visão do paciente melhora.

O Dr. João Guilherme de Moraes explica que o procedimento deve ser realizado por profissional especializado em retina e vítreo, assim o paciente tem garantia de sucesso e maior segurança no procedimento.

Se desejar saber mais informações marque uma consulta com nossa equipe pelo telefone: (41) 3242-0108

03 out 2015

Dr. João Guilherme de Moraes participa do IV simpósio de doenças maculares

Nos dias 1,2 e 3 de outubro o Dr. João Guilherme participa do IV Simpósio sobre doenças maculares, o evento é internacional e reúne especialistas importantes em busca do aprimoramento do conhecimento sobre novos tratamentos.

As doenças maculares podem causar grandes danos a visão, a mácula é uma parte importante do fundo do olho sua estrutura é composta por cones que são células fotorreceptoras,  responsáveis por transformar a luz em impulso elétrico e enviar essa informação para o cérebro interpretar e gerar a imagem. Qualquer doença que atinja essa importante estrutura causará danos severos a visão do paciente.

O Dr. João Guilherme de Moraes explica que o aprimoramento no tratamento das doenças maculares é de suma importância para trazer aos pacientes novos tratamentos, aumentando as chances de recuperação.

 

Algumas doenças da mácula:

  • Degeneração macular relacionada à idade
  • Buracos maculares
  • Edemas maculares
  • Membranas epirretinianas maculares
  • Síndromes de tração vítreo-macular
  • Coriorretinopatia central serosa
  • Telangectasias retinianas justa foveal idiopática
  • Vasculopatia coroidal polipoidal idiopática
  • Maculopatias hereditárias distróficas
16 ago 2015

Açúcar pode prejudicar sua retina

O consumo de açúcar vem crescendo no mundo todo e se transformou numa das principais questões da saúde pública em vários países. O Brasil é um deles. Por aqui, o consumo per capta de açúcar responde pela ingestão de 40O a 500 calorias/dia, segundo estudo conduzido na Universidade de Harvard (EUA). Isso é 4 a 5 vezes mais que as 100 calorias/dia ou 6 colheres de chá que correspondem as  25 gramas/dia, recomendadas pela OMS (Organização Mundial da Saúde). Além da obesidade e diabetes, este hábito causa doenças cardíacas e oculares a médio prazo.

Algumas pessoas que nunca usaram óculos podem sentir a visão ficar embaçada, as vezes um exame de sangue pode detectar o problema, o aumento da glicose na corrente sanguinea pode induzir a miopia e provocar inchaço no cristalino (lente natural do olho), é comum pacientes diabéticos reclamarem da piora da visão, e desejar trocar o óculos, quando na verdade essa variação da visão ocorre devido ao mal controle glicêmico.

O descontrole do açúcar é um fator muito preocupante no Brasil, segundo o ministério da saúde mostrar que 18% da população come doce diariamente, sendo 15% homens e 20% mulheres.

 

Retinopatia diabética

Uma das mais temidas doenças oculares é decorrente da hiperglicemia, a retinopatia aparece depois de cerca de 10 anos do paciente conviver com a diabetes, a doença resulta na obstrução dos vasos da retina, inicialmente a doença reduz a visão e forma manchas. A evolução da doença pode provocar a cegueira.

Por isso é muito importante o controle do açúcar, tanto para a saúde do corpo como para a saúde visual.

22 jul 2015

Eylea para tratamento de DMRI e oclusão venosa

A DMRI é a maior causa de cegueira legal após 65 anos de idade. Esta doença é classificada de duas formas: a seca e a úmida. A forma seca não possui tratamento existente. Embora a forma úmida, ou exsudativa, corresponda a apenas 10% das ocorrências, é responsável por 90% dos casos de cegueira pela DMRI.

Porém a doença possui tratamento eficiente com aplicação de medicamentos no olho, drogas como Lucentis, Avastin e a Eylea – Bayer, desde 2011 o medicamento está aprovado no FDA e no Brasil foi aprovado pela Anvisa.

A Eylea age bloqueando o VEGF e a Placenta GrowthFactor (PlGF), ambos fatores contribuem para o crescimento anormal dos vasos sanguíneos, que caracteriza o avanço da DMRI no olho do paciente.

Outra aplicação do medicamento Eylea é o tratamento de Edema Macular secundário a oclusão da veia retiniana. A abordagem terapêutica recomendada é iniciar o tratamento com injeções mensais até a acuidade visual máxima ser atingida e/ou não serem identificados quaisquer sinais de atividade da doença.

12 jul 2015

Dr. João Guilherme de Moraes está participando do maior evento educacional de retina do Mundo

O Dr. João Guilherme de Moraes está participando do maior evento educacional de retina do Mundo, é o Congresso de Retina promovido pela Sociedade Americana de Especialistas em Retina (ASRS).  Para o Dr. João Guilherme participar do congresso de renome mundial é fundamental para o constante aprimoramento do trabalho realizado no Brasil, uma vez que o evento contempla os assuntos mais atuais e relevantes da especialidade.

“Desta forma temos a oportunidade de conhecer o desenvolvimento cientifico da nossa especialidade para conseqüentemente, melhor atuar e oferecer tratamento avançado para nossos pacientes, de acordo com as técnicas mais modernas praticadas pelos centros mais avançados do Mundo”, frisa o médico.

congresso dr

O constante aprimoramento é parte fundamental do trabalho realizado em Curitiba, trazendo para a Capital paranaense o melhor que a medicina pode oferecer para doenças da Retina.

O congresso contará com Painéis, Discussão de Casos, sessões cientificas, apresentação de casos por especialistas renomados entre outras atividades.

08 jun 2015

Degeneração Macular Relacionada à Idade: como tratar

Saiba como tratar a degeneração macular relacionada à idade

 

Com a idade é preciso redobrar os cuidados com a saúde para garantir a qualidade de vida e isso significa fazer exames regulares para cuidar da saúde. Dentre os problemas que podem surgir está a degeneração macular relacionada à idade que pode afetar gravemente a visão do paciente. Saiba o que é e como tratar a degeneração macular relacionada à idade.

Visão com DMRI
Visão com DMRI

O que é a degeneração macular relacionada à idade

A degeneração macular relacionada à idade é uma doença que acomete a parte central da retina, a membrana na parte posterior do olho onde estão localizados os fotossensores responsáveis por transmitir e converter os estímulos externos na visão propriamente dita. A degeneração macular ocorre na parte chamada de mácula, e pode levar à perda total da visão.

Fatores de risco da degeneração macular relacionada à idade

Além de ser encontrada com mais frequência entre pessoas com mais de 50 anos, outros fatores de risco da degeneração macular relacionada à idade são pele clara, olhos verdes ou azuis, dietas ricas em gordura, tabagismo, doenças circulatórias, estresse, obesidade, exposição solar excessiva sem proteção, dieta com deficiência de vitaminas e minerais e predisposição genética.

Tipos de degeneração macular relacionada à idade

A degeneração macular relacionada à idade possui dois tipos: a degeneração macular seca e a do tipo úmida ou exsudativa.

  • Seca

A degeneração macular relacionada à idade do tipo seca acontece, de acordo com o Dr. João Guilherme de Moraes, devido a um depósito de restos celulares no fundo do olho cujas formações de gordura que se acumulam sobre eles, chamadas de drusas, são responsáveis pela degeneração da mácula.

Segundo o Dr. João Guilherme de Moraes é o tipo mais comum da doença, manifestando-se em 90% dos casos. Além disso, esse tipo de degeneração pode levar a um descolamento de retina.

  • Úmida

Já a degeneração macular relacionada à idade do tipo úmida é a mais grave, mas também a mais rara entre os pacientes. Nesses casos, alguns vasos anormais crescem sob a mácula e terminam derramando sangue ou outros líquidos na porção central da retina, afetando a visão de maneira mais intensa.

Conforme nos explicou Dr. João Guilherme de Moraes a forma úmida atinge uma menor parcela da população, mas é muito mais agressiva e prejudica a visão, a boa noticia é que existem tratamentos eficientes para este tipo de Degeneração Macular.

retina curitiba degeneracao macular relacionada a idade

Sintomas da degeneração macular relacionada à idade

Os principais sintomas da degeneração macular relacionada à idade são a distorção na visão central, como o aparecimento de manchas, perda de foco ou distorção de linhas retas. O Dr. João Guilherme de Moraes também aponta para a possibilidade da perda de visão periférica e do campo visual em geral.

Diagnóstico da degeneração macular relacionada à idade

O diagnóstico da degeneração macular relacionada à idade deve ser feito por um oftalmologista especializado em retina, sendo feito com testes como a medida da acuidade visual, mapeamento da retina e biomicroscopia da retina, por exemplo.

Além disso, podem ser feitos testes específicos como com a tela de Amser, que serve para identificar distorções de linhas retas na visão.

degeneracao macular dr joao guilherme de moraes

Tratamento da degeneração macular relacionada à idade

O único tipo de degeneração macular relacionada à idade que possui tratamento é o tipo úmido, já que quanto à degeneração macular relacionada à idade seca ainda não há nenhum tratamento conclusivo para a redução do tamanho das drusas.

Assim, o tratamento da degeneração macular relacionada à idade pode ser feito com uma injeção intravítrea para impedir a formação de novos vasos sanguíneos sob a retina. Esses medicamentos também são conhecidos como ANTI-VEGF, o Dr. João Guilherme de Moraes já realizou milhares deste tipo de procedimento, ele nos contou que o procedimento é eficiente e o paciente não sente dor, é muito seguro e as pesquisas e resultados obtidos são promissores.

Como prevenir degeneração macular relacionada à idade

Com a mudança de hábitos também é possível prevenir a degeneração macular relacionada à idade, como ao parar de fumar, adotar uma dieta saudável, controlar seu peso e visitar um oftalmologista com freqüência.

 

Dessa forma, a degeneração macular relacionada à idade deve ser diagnosticada precocemente, sendo possível incluir uma mudança para hábitos mais saudáveis, prevenindo o aparecimento da doença e diminuindo os fatores de risco.

28 maio 2015

Dr. João Guilherme de Moraes realiza palestra congresso APO

Dr. João Guilherme de Moraes CRM 16712 realiza duas palestras no 40º Congresso da APO (Associação Paranaense de Oftalmologia), as palestras foram: Tratamento Farmacológico das Doenças Retinianas – Triancionolona e Ozurdex no tratamento de uveítes, no qual o Dr. João Guilherme de Moraes explica como os medicamentos podem auxiliar na melhora de casos de uveítes. A segunda palestra foi o Curso de Retina: Angiografia, no qual o Dr. Ensina as técnicas de diagnostico do exame de Angiografia Ocular, que é muito importante para o diagnóstico de diversas doenças da retina.

O 40º Congresso da APO aconteceu em Curitiba nos dias 8 e 9 de maio e teve a participação de centenas de Oftalmologistas que buscam aprimoramento técnico e as novidades de técnicas cirúrgicas praticadas dentro e fora do Brasil.

O Dr. João Guilherme de Moraes tem participação constante em eventos internacionais visando trazer para o Brasil as técnicas mais inovadoras e eficazes nos tratamentos de doenças da retina.

17 maio 2015

Descolamento de Retina é uma doença grave

O descolamento de retina acontece quando a retina se solta da coroide, camada composta de vasos sanguíneos. Quando a retina descola da coróide ele começa a perder nutrição.

O descolamento da retina pode ser considerado um caso de urgência em oftalmologia. Os sintomas são variados e incluem perda de visão em “cortina” moscas, relâmpagos, ou outras alterações.

 

deslocamento-da-retina curitiba

Algumas causas de descolamento de retina são miopia, trauma, movimentos bruscos com a cabeça, diabetes, mas em algumas pessoas ela ocorre espontaneamente.

O médico especialista consegue detectar afincamentos e buracos na retina em pacientes ainda sem descolamento de retina, e um tratamento preventivo com laser pode ser feito com grande eficiência.

deslocamento retina curitiba2

Com o diagnóstico de descolamento de retina, o paciente deve ser submetido à cirurgia para reparo do descolamento, caso contrário perda da visão permanente ocorrerá. Infelizmente mesmo com a retina novamente colada pode haver alguma sequela na visão.

Além disto, em uma minoria dos pacientes há uma forma de rejeição e o organismo descola a retina mesmo após várias cirurgias e ocorre cegueira total.

Call Now Button